Regras (e segredos) de um operador disciplinado

Depois de ler alguns livros importantes sobre operações no mercado financeiro, aprendi que existe algo muito importante e igualmente instável, que dificulta o sucesso de um operador: a disciplina.
O problema é que toda profissão tem algumas regras, impostas desde o curso profissionalizante, faculdade ou técnico, e levado adiante com regras durante o ingresso no trabalho, mas o operador do mercado financeiro (trader), não possui qualquer órgão ou conselho que imponha alguma diretriz de como trabalhar ou de como não trabalhar. Um médico possui o ministério da saúde, a própria faculdade, o conselho regional de medicina, etc. O professor, engenheiro, meteorologista, geólogo, todos possuem algo que não lhe permite fazer determinadas coisas e que ao mesmo tempo lhe impõe seguir diretrizes básicas.
Mas ninguém impede um operador de montar uma operação de compra em um topo, e assim perder todo seu dinheiro com o passar dos dias e semanas. Por isso a necessidade de se criar regras para um operador ter a disciplina de uma profissão séria e estável.

Tudo que cito abaixo foi o que aprendi destrinchando minuciosamente os livros do Alexander Elder e do Mark Douglas. Desenvolvi um esquema de regras para mim que segue 6 categorias: Regras individuais, de treinamento, de planejamento de operações, de análise de indicadores, de operações e de gestão financeira. Todas as 6 categorias são sub-divididas em psicológicas e práticas, ou seja, regras sobre o que devemos pensar e o que devemos fazer.

I – Regras psicológicas individuais

  1. Conhecer as regras, ter disciplina, dedicar-se ao ofício e levar um pouco de jeito.
  2. Saber quais são as minhas vantagens especiais, seja em relação ao reconhecimento de padrões especiais, seja de estratégia de gestão financeira ou de regras psicológicas de controle emocional.
  3. Ter dois objetivos: ganhar dinheiro e aprender, lucrando ou perdendo.
  4. Não ser receoso, inibido e tímido.
  5. Ser confiante, ousado e corajoso.
  6. Não retornar aos velhos hábitos.
  7. Mudar radicalmente o comportamento.
  8. Ser incisivo, curioso e descontraído, ter autoconfiança e nunca ser arrogante. Acreditar em minhas habilidades e métodos de operação, ficar atento a novos aprimoramentos. Ser seguro, atento, calmo e flexível. Ser uma companhia divertida. Ser informal.
  9. Assumir total responsabilidade pelos resultados de todas as minhas operações.
  10. Não culpar os outros por tirar o meu dinheiro.
  11. Ter disciplina é fundamental, pois não estou sujeito a disciplina externa.
  12. Ter como primeiro item da agenda aprender a operar, não ganhar dinheiro. Depois de aprender a operar, o dinheiro virá como conseqüência naturalmente.
  13. Convencer-me de que a minha meta é aprender a operar, em vez de ganhar muito dinheiro rápido

II – Regras práticas individuais

  1. Ter disciplina férrea para seguir seu sistema.
  2. Conquistar vantagens especiais.
  3. Não observar as ações dançando à minha frente, pois isso me faz esquecer a realidade e nadar em adrenalina. É a mesma sensação do álcool descendo pela goela para um alcoólico.
  4. Aprimorar constantemente a minha humildade e flexibilidade.
  5. Ficar um longo tempo sem ouvir sugestões até ficar maduro sobre o meu Trade System.
  6. Realizar todas as manhãs uma reunião solitária dos Perdedores Anônimos. Entre no escritório, ligue o computador e, enquanto ele liga diga a si mesmo:
    “Bom dia, meu nome é Fulano, sou um perdedor. Tenho a compulsão de provocar sérios danos à minha conta de operações. Já fiz isso várias vezes. Meu único objetivo para hoje é voltar para casa sem prejuízo.”
    Quando o home broker abrir inicie suas negociações, seguindo o plano escrito na noite anterior, quando os mercados estavam fechados.
  7. Levantar cedo todas as manhãs e orar durante muito tempo, com uma enorme fé, em seguida ir para o escritório e operar durante todo o dia. No momento em que alguma operação tomar um rumo adverso, não hesitar em cortar a perda e ir embora, pois o dinheiro pertence ao Senhor e não podemos perder o que não é nosso.
  8. Exorcizar meus demônios interiores.
  9. Investir muito tempo e energia para dominar o meu ofício.

III – Regras psicológicas de treinamento

  1. Concentrar em poucos mercados e operá-los bem.
  2. Estude bem essas ações, conheça bem seu comportamento, aguce a sensibilidade sobre suas tendências de movimentação.
  3. A profundidade de suas pesquisas é mais importante do que a amplitude.
  4. Ficar atento para os momentos de histerias de baixa, encontrar o momento de comprar nesses momentos, pois o retorno a faixa normal deve gerar bons lucros. Aprender com a história para ficar calmo enquanto os demais perdem a cabeça.
  5. Realizar grande quantidade de operações pequenas.

IV – Regras práticas de treinamento

  1. Escolher – ações com liquidez e volatilidade.
    Liquidez – volume médio diário maior que de outros ativos do mesmo grupo.
    Volatilidade – as maiores movimentações geram melhores oportunidades (ampla variação de preço).
  2. Desenvolver um conjunto de parâmetros de busca.
  3. Dedicar muito tempo para procurar uma corretora confiável e mais barata.
  4. Escolha duas ou três dúzias de ações e monitore em dias alternados.
  5. Saiba quando as empresas distribuem lucros.
  6. Saber as cotações mais altas e baixas do último ano.
  7. Escolher 2 ou 3 setores, escolha meia dúzia das principais ações em cada um desses setores e acompanhe diariamente.
  8. A escolha deve ser com base em volume mais alto, tendências mais firmes reversões mais acentuadas e volatilidade razoável.
  9. Extrair uma idéia própria da análise fundamentalista e filtra com a análise técnica.
  10. Meu trabalho cotidiano: estudar os gráficos para descobrir onde um grupo superou o outro. Buscar padrões de preços representativos, ainda nos primeiros estágios. Analisar o comportamento de massa em busca de lucro.
  11. Manter boa escrituração das minhas operações. Aprender com erros e então me sair melhor no futuro.
  12. Se o patrimônio estiver encolhendo, analisar o que está fazendo de errado.
  13. Automatizar os procedimentos, criando condições para que eu me concentre na estratégia.
  14. Na maior parte do tempo, preparar planos de operação e de decisão antecipada de como agir quando o mercado fizer coisas inimagináveis. Desenvolver esses cenários e chegar ao ponto de não ficar ruminando soluções nos saltos do mercado. Atingir um estágio em que todos os procedimentos de operação se tornam automáticos.

V – Regras psicológicas de planejamento de operações

  1. Foque em tirar dinheiro dos operadores que estão empolgados com uma tendência em ritmo acelerado.
  2. Sempre – esperar os bons sinais que saltam da tela, não improvisar operações quando o mercado estiver em calmaria. Calcular as chances e entrar apenas quando a matemática demonstrar que está em posição favorável.
  3. Ficar à espreita de oportunidades, esperando que padrões familiares despontem em meus gráficos.
  4. Observar e esperar por episódios de comportamento emocional forte. (alto volume e forte movimento).
  5. Durante o trabalho, ser frio e sensato para escolher com calma minhas táticas.
  6. Melhorar os meus planos de operação.

VI –  Regras práticas de planejamento de operações

  1. Estratégia de impulso – comprar quando nova onda começa a percorrer a multidão e a gerar alta no mercado, e vender quando a onda começa a perder força.
    Estratégia contra a corrente – comprar quando um rompimento de baixa começa a perder velocidade e fechar sua posição quando a tendência de alta passa a apresentar sinais de frenagem.
  2. Ideal – sinais emitidos de movimentos rápidos. (alta emoção – alto volume).
  3. Ficar de fora – quando os mercados estiverem estáveis.
  4. Nunca – comprar em tendência de baixa, mesmo que pareça muito barato.
  5. Buscar critérios objetivos para decidir quando o preço está alto demais ou baixo demais.
  6. Não procurar opinião de analistas sobre a mesma ação que estou com intenção de operar.
  7. Saber quando devem ser liberadas as demonstrações financeiras.
  8. Supor uma queda brusca e saber exatamente o que fazer nessa hipótese.

VII – Regras Psicológicas de Análise Técnica

  1. Não buscar indicadores que me mostre o que eu quero confirmar.

VIII – Regras Práticas de Análise Técnica

  1. Identificadores de tendências: Médias Móveis, Sistemas Direcional e MACD.
  2. Identificadores de reversões: Estocástico, Force Index e IFR.
  3. Dedicar a maior parte do meu tempo na reflexão da análise técnica, na tentativa de identificar tendências e reversões.
  4. Decidir sobre metas de lucro e parâmetros de prejuízo antes de entrar em uma operação.

IX – Regras Psicológicas Operacionais

  1. Não mudar o que deve ser feito seguido pelo meu sistema de operações (Trade System).
  2. Aceitar os riscos, trabalhar para ter lucro.
  3. Entender que ao infringir minhas próprias normas, o mercado deixa uma armadilha ainda pior para mim.
  4. Não admitir a doença de converter operações fracassadas em investimento de longo prazo.
  5. Não se queixar de má sorte.
  6. A minha defesa contra a autodestrutividade é a disciplina.
  7. Disciplina significa desenvolver, testar e seguir seu sistema de negociações; é aprender a entrar e a sair dos mercados em resposta a sinais predeterminados, em vez de saltar para dentro ou para fora ao sabor de impulsos. Significa fazer a coisa certa, não a coisa fácil. E o primeiro obstáculo na estrada conducente à disciplina nas operações de mercado é a adoção de um sistema de escrituração.

X – Regras Práticas Operacionais

  1. Anotar tudo e não repetir os mesmos erros.
  2. Não procurar opinião de analistas sobre a mesma ação que estou operando.
  3. Colocar stop sempre.
  4. Movimentar o stop apenas no sentido da operação.
  5. Não adiar a hora do juízo final. A primeira perda é a melhor perda.
  6. Manter bons registros, diários de operações, curva patrimonial e planilha de operações.
  7. Só “puxar o gatilho” se as mãos não estiverem tremendo.
  8. Avaliar o desempenho de todas as operações.

XI – Regras Psicológicas de Gerenciamento de Risco

  1. Operar no máximo com uma quantia que não seja maior que a capacidade de se manter calmo durante a operação, pois se for maior poderá perder a capacidade de raciocinar para vencer.
  2. Saber com clareza quando entrar, quando realizar lucro e quando aceitar a perda.
  3. O tamanho das posições deve ser tal que não gerem graves contusões no caso de uma reversão.
  4. Ter a mente forte para aceitar um pequeno prejuízo, e assim evitar um grande rombo na conta.
  5. Traçar uma linha clara entre o risco do negócio, de um lado, e prejuízo, de outro.
  6. Assumir os riscos normais do negócio, mas não se dar ao luxo de sofrer prejuízos.
  7. Melhorar os meus métodos de gestão do dinheiro.

XII – Regras Práticas de Gerenciamento de Risco

  1. Ter uma rede de segurança com gestão do dinheiro.
  2. O mínimo para começar é $ 20.000,00 e o máximo $ 100.000,00.
  3. Diminuir a minha posição se eu estiver em dúvida do impacto de relatórios prestes a serem liberados.
  4. Não reforçar posições perdedoras.
Anúncios
Esse post foi publicado em Mercado de Ações e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s