No mercado, é necessário perder para aprender – Mito ou Verdade?

Já li em alguns livros algo como:

“- para ser um bom operador é necessário passar por uma ou mais grandes perdas ou então ter um bom mentor que passou por grandes perdas”.

Autores que propagam essa idéia são o Mark Douglas, Alexander Elder, Richard Weissman, entre outros, gosto desses autores por sentir que eles são sérios e tentam ser bem profundos nas suas explanações e pesquisas psicológicas, entretanto recentemente vi um autor chamado Rob Booker que diz que isso é mito, o livro dele tem um ar meio engraçado, me lembra alguns garotões que acham que a sua masculinidade serve para tudo na vida, ele até expõe algumas idéias válidas, porém nada de extraordinário ou inovador.

Mas afinal, é necessário ou não ter uma grande perda para aprender a ser um bom operador? Deixo a minha mente aberta para pesquisar sobre o assunto sem aceitar autores que digam que isso ou aquilo seja verdade, tento procurar pela resposta nas Finanças Comportamentais. Até porque, quem sou eu pra responder isso? No máximo posso expor a minha percepção, o meu paradigma dessa experiência de passar por uma grande perda, e no máximo posso supor hipóteses do que acontece com as pessoas que consideram isso mito.

Começando a falar por mim e pelas experiências ruins que tive, serviram e muito para aprender a me controlar e a ter a disciplina.

Acredito que as pessoas não querem ter prejuízos, pelo menos não conscientemente, entretanto elas entram em um estado de euforia muito grande ao trabalhar com ações, principalmente a curto ou médio prazo – os traders – só que isso atrapalha o indivíduo a agir com racionalidade, e alguns comportamentos são repetidos ao longo das operações, tais como:

não criar um plano de operação extenso e detalhado, afinal isso toma muito tempo, muitas vezes nem sabe por onde começar, memoriza algumas frases prontas, olha os jornais a todo instante, lê livros da Era em que as ações se moviam a longo prazo mais em pé de igualdade com a saúde das empresas e acha que será um Warren Buffet;

e os que tem um plano definido, seja um plano pequeno ou grande, muitas vezes não tem disciplina de seguir o seu plano, acaba distorcendo a realidade e quer acreditar que seu plano estava errado, mudando-o a todo instante, confiando que dessa vez tudo será diferente, e então deixa de realizar um prejuízo aumentando ainda mais o volume desse prejuízo para o futuro em que ele não suportar mais olhar suas ações em queda livre.

O indivíduo se acostuma a não planejar, afinal, “ontem ganhei uma bolada fazendo desse jeito, então devo conseguir mais”, e no lugar de lucros consistentes e em maior volume, ele consegue prejuízos consistentes e em maior volume. Eu entendo isso como um vício.

E como todo vício, o melhor é pensar e sentir como se nunca estivesse livre dele, então tentamos sercar as possibilidades do vício ocorrer novamente por todos os lados, criando regras psicológicas, técnicas e ainda sociais ou individuais que nos favorecem a estar no controle de nós mesmos.

Uma característica comum a todo viciado é um grande choque de realidade quando algum comportamento ou hábito lhe faz um tremendo mal, podendo levá-lo a morte, nesse caso, a morte financeira, acaba aprendendo muito com isso, pois desde criança até mesmo quando adultos, aprendemos muito mais através do exemplo do que pela palavras, aulas práticas, exemplos de atitude dos pais são exemplos disso, por isso entendo que uma grande perda pode proporcionar um aprendizado sem igual.

Entretanto, cada indivíduo tem suas crenças, não creio que haja uma resposta única para esse paradigma, tentando abrir a minha mente, acredito também que exista pessoas que nunca sofreram grandes perdas no mercado, nem nunca tiveram um mentor que passou por grandes perdas, e ainda assim obtenha resultados consistentes de lucros mais volumosos que prejuízos.

Tentando chegar a alguma conclusão, a única coisa que posso compartilhar aqui é que devemos procurar fazer aquilo que nos faz crescer como pessoa e como trader, cada pessoa tem suas particularidades únicas e nunca existirá um ser igual a outro, por isso você não precisa acreditar naquilo que não tem vinculo com a sua personalidade e com suas experiências de vida. Podemos chegar a uma 3ª Alternativa – nome do último e genial livro de Stephen R. Cover – para quem já teve grandes perdas faz sentido acreditar que isso lhe fez crescer e de fato fez, aos que nunca tiveram grandes perdas desejo que continuem assim com discplina para sempre, ambos procurem a sua prosperidade e estudos da forma que for melhor para si

Um homem ficará aprisionado em um quarto com a porta destrancada e que abre para dentro a não ser que lhe ocorra puxar em vez de empurrar – Ludwig Wittgenstein.

Publicado em Mercado de Ações | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Prática Mensal para Controle Financeiro

Quando falamos sobre guardar dinheiro muita gente se pergunta “como?”. Afinal não sobra nada no fim do mês, então o que eu posso sugerir é aquilo que dá certo pra mim, portanto segue abaixo a minha rotina mensal de controle financeiro.

1 – imprimo uma tabela de Ficha de Pagamentos, onde coloco todos os pagamentos ao longo do mês. Faço isso com duas finalidades:

a. – ganhar sensibilidade de quanto gasto diariamente e semanalmente, assim evito gastos impulsivos, por exemplo, percebo que essa semana já gastei demais e começo a me conter nos próximos dias;
b. – a parte mais importante é que no final do mês faço um balanço para saber pra onde está indo o dinheiro e o que posso fazer para economizar mais. Por exemplo, separo entre dois tipos de gastos, aqueles em que talvez eu possa avaliar a hipótese de diminuir o gasto ou até mesmo cortar – isso sem esquecer que devo manter meu lazer para me manter feliz – e aqueles gastos que não posso fazer nada para mudar coloco em outra coluna, como aluguel, conta de energia, padaria, etc. O que se classifica como possível ou impossível de reduzir gastos é variável, não tem uma fórmula pronta, cada indivíduo/família deve classificar seus gastos de acordo com a sua vida particular. Uma vez que separei e classifiquei os gastos, olho da seguinte forma, um exemplo, comi 6 vezes pizza esse mês, batata recheada apenas 2 vezes, comprei vinho 3 vezes, então vou estipular uma regra pra mim que nos próximos meses irei comer pizza apenas 3 vezes, batata recheada vou manter 2 vezes e vinho vou reduzir apenas para 2 vezes no mês. Mas qual a motivação de fazer isso? Você precisará fazer a seguinte conta, cada pizza custa R$ 35,00, o vinho custa R$ 20,00, então como deixarei de comer 3 pizzas ao mês e 1 vinho a menos estarei economizando 3 * 35 = 105, mais o vinho, dá R$ 125,00 ao mês. Agora vem um passo importante dessa conta, ao ano isso dá R$ 1500,00!!! Será que não vale a pena o esforço para ter economizado essa quantia? Assim podemos comprar a TV dos sonhos, fazer aquela viagem, comprar uma máquina de café espresso (eheheh – que por sinal custa menos que a metade disso). Se empolgue com essa ideia e coloque em prática a partir de hoje! E seja mais rico a cada ano!!!

2 – como é muito difícil sobrar dinheiro no final do mês, maaaaas todo mundo “sabe se virar nos 30” quando acaba o dinheiro no fim do mês até receber o próximo salário, que tal colocar como o primeiro pagamento da sua “Ficha de Pagamentos” 10% do salário transferindo para a poupança como uma forma de pagar a si próprio primeiro?

Vamos supor que você ganhe R$ 1000,00, multiplica isso por 0.1 e verá 10% de qualquer quantia, nesse caso R$ 100,00, passa isso pra poupança e anota na Ficha de Pagamentos assim: “Poup 10% salário”. Pronto, fez o seu primeiro pagamento a si próprio! Parabéns, você deu um enorme passo rumo ao seu crescimento financeiro e emocional! Pois você precisou de autocontrole e muita serenidade para fazer isso!

3 – anote também o que sobrou no mês anterior e coloque na poupança, anotando na ficha de pagamento assim: “Poup resto mês ant.”

4 – caso receba um aumento no salário, mas nada nas suas despesas aumentaram no mesmo mês, que tal fazer o oposto da maioria? Invés de sair gastando tudo finja que não recebeu aumento algum, continue com a ideia de que você está recebendo apenas R$ 1000,00 por mês no lugar dos R$ 1150,00 supostamente você esteja recebendo. Passe essa diferença de R$ 150,00 para a poupança e anote assim: “Poup a mais salário”.

Mas caso comece a faltar dinheiro no fim do mês, mesmo você se sentindo controlando bem o dinheiro ao longo do mês, então pode ser que os alimentos aumentaram, combustível, etc e então você necessite rever essa ideia e considerar realmente que agora o seu salário é de R$ 1150,00, porém refaça as demais contas, 10% do seu salário é agora R$ 150,00.

5 – e no caso de você começar a receber um salário extra, devido a mais algum tipo de serviço ou produto que começou a trabalhar? Suponha R$ 600,00 a mais todo mês, não é muita coisa, mas é um bom dinheiro que tira qualquer um do sufoco, deixe na conta/no bolso apenas 1/3 dessa quantia (R$ 200,00) para gastar normalmente e o restante, 2/3 R$ 400,00, você guarda na poupança e anota assim: “Poup 2/3 salário extra”.

6 – mas e se você receber uma quantia que te deixa mais emocionado? Se sentiu emocionado então é muito dinheiro…heheh…por exemplo R$ 6000,00 de uma ação na justiça, como é muito dinheiro não vamos usar a regra do 1/3 e 2/3, iremos usar outra, agora você deixa no seu bolso para usufruir durante o mês apenas 1/6 do valor que te emociona, o restante, 5/6, você guarda na poupança para realizar grandes sonhos.

E claro, não se esqueça de dar uma entrada na sua “Ficha de Pagamento” assim: “Poup 2/3 dinheiro extra” e tenha o orgulho de estar se controlando financeiramente e aumentando o patrimônio e de sua família! Ah, é natural que nesse mês sobre alguma quantia, mas também aproveite esse mês para comprar calças, blusas e sapatos novos caso esteja sentindo necessidade.
OBS.: a minha recomendação é usar a planilha do autor do livro “12 Meses Para Enriquecer – Plano da Virada”, procure no google. Mas você pode criar a sua própria planilha de Ficha de Pagamentos.

Sugestões de leitura:

1. Família, Afeto e Finanças – Angélica e Rogério;
2. Casais Inteligentes Enriquecem Juntos – Gustavo Cerbasi
3. Os Segredos dos Casais Inteligentes – Gustavo Cerbasi
4. 12 Meses Para Enriquecer – O Plano da Virada – Marcos Silvestre
5. Os Segredos da Mente Milionária – T. Harv Eker
6. Quem Pensa Enriquece – Napoleon Hill
7. Quem Vende Enriquece – Napoleon Hill
8. Finanças Comportamentais – Mosca
9. A Dieta do Bolso – Bussinger
10. A Árvore do Dinheiro – Macedo Jr
11. As Armadilhas do Consumo – Tolotti
12. Quanto Custa Ficar Rico – Portinho
13. Descubra Sua Personalidade Financeira – Jordan E. Goodman

Publicado em Educação Financeira | Deixe um comentário

Idéias básicas sobre educação financeira (finanças pessoais)

Tem uma idéia que é unânime entre os gestores financeiros e até entre os maiores investidores e operadores de bolsa do mundo todo:

“Você pode aprender tudo sobre investimentos, ser o cara mais sofisticado, inteligente e esperto, mas o que construirá a sua fortuna será o fato de Ganhar mais do que as despesas mensais, Guardar frequentemente (mensalmente) uma parte do que você recebe aplicando com planejamento e ter disciplina para planejar seus Gastos futuros.”

Chamo isso de 3G inteligente – Ganhar, Guardar e Gastar com inteligência!

poupanca[1]

————————————————————–

Seguindo essa idéia, pense em como ganhar R$ 1.000,00 a mais no ano e evitar uma gastrite!

Bem, vamos supor que você goste muito de tomar um café (eu adoro), quem trabalha e/ou estuda muito dificilmente não gosta.

Um cafezinho na rua não sai por menos de R$ 2,50, e nada mais justo que tomar 2 cafezinhos, um quando estiver indo para o trabalho e outro logo após o almoço; então são R$ 5,00 por dia.
Mas a gente trabalha pelo menos 5 dias por semana; logo são R$ 25,00 por semana; com 4 semanas por mês ao todo dá R$ 100,00 por mês, só de cafezinho! Vamos contar que você é um sortudo e trabalha apenas 10 meses por ano, então são R$ 1.000,00 por ano de café na rua!?

cafe[1]

Onde eu quero chegar com isso? Aqui estou supondo que você tem o hábito de tomar um café na rua, ou melhor dois, sempre que vai trabalhar, mas podemos fazer qualquer outro tipo de conta com [pequenos gastos frequentes que temos no dia-a-dia], basta fazer a conta por ano e pensar quanto podemos economizar para adquirir com facilidade um bem durável, como uma TV nova, um relógio, e porque não um curso para aprimorar a sua profissão?

Nesse exemplo que dei o cara pode cortar pela metade o café e ficar R$ 500,00 mais rico no fim do ano, para distribuir presentes? Não necessariamente, mostramos afeto com palavras, gestos, e muitas vezes com pequenos presentes. Mas podemos pegar 1/3 disso e guardar/investir com inteligência, 1/3 reservar para emergências e 1/3 gastar como desejar. Se não gostar dessa idéia o cara pode apenas renovar o guarda roupa.

Vai da força de vontade de realizar grandes desejos a longo prazo através de metas bem definidas, ou da fraqueza de ceder constantemente a pequenos desejos impulsivos do agora.

00025112008metas[1]

————————————————————–

Livros sobre educação financeira:
1. Família, Afeto e Finanças – Angélica e Rogério
2. Casais Inteligentes Enriquecem Juntos – Gustavo Cerbasi
3. Os Segredos dos Casais Inteligentes – Gustavo Cerbasi
4. 12 Meses Para Enriquecer – O Plano da Virada – Marcos Silvestre
5. Os Segredos da Mente Milionária – T. Harv Eker
6. Quem Pensa Enriquece – Napoleon Hill
7. Quem Vende Enriquece – Napoleon Hill
8. Finanças Comportamentais – Mosca
9. A Dieta do Bolso – Bussinger
10. A Árvore do Dinheiro – Macedo Jr
11. As Armadilhas do Consumo – Tolotti
12. Quanto Custa Ficar Rico – Portinho
13. Descubra Sua Personalidade Financeira – Jordan E. Goodman

Ah…sobre as ciladas, anote o que não é investimento:
– Consórcio (uma aquisição que vc não pode vender mais caro nunca será investimento, pois não lhe rende nada, apenas deprecia)
– Carro (pelo mesmo motivo do anterior)
– Título de Capitalização (é jogo de loteria)
– Poupança (pois apenas tenta manter o poder de compra do dinheiro que vc tem, ele não rende nada a mais da inflação)
– Fundos de Renda Fixa (atualmente, ao considerar as taxas de administração, Imposto de Renda, o ganho é igual ou inferior ao da poupança)
– Plano de Previdência Privada (pois o ganho é igual ao da poupança, só que ainda tem taxas de admin, o que na prática faz ser inferior, já fizemos e por alguns anos e fui fazer as contas o juros anual liquido estava abaixo do da poupança, por isso cancelei)

Então quais são as opções de investimento?
– Tesouro Direito (uma das melhores opções)
– Alguns Fundos de Renda Fixa (a maioria perde pra poupança se calcularmos a taxa anual de rentabilidade descontando Imposto de Renda e taxas de administração)
– Fundos de Renda Variável (é necessário estudar com calma)
– Ações de empresas (é necessário estudar bastante, pois é renda variável)

Publicado em Educação Financeira | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário

Lançamento do “Guia Completo de Backtest” by VelaePavio

Acredito que todos aqueles que procuram informação séria sobre trade aqui no Brasil já devem ter se deparado com o blog do VelaePavio.

O Vela (para os amigos) sempre escreve em seu blog grandes posts, complexos e com muitas idéias que nos agrega valor, muitas vezes é notável a identificação dele com o Van Tharp, e isso devido ao seu esforço de ler mais de 30 livros sobre trade. Agora o Vela concluiu um e-book de 74 páginas que se trata de um guia completo de backtest. Poucas pessoas realmente são capazes de escrevem um livro sobre trade no Brasil, acredito que essa seja uma oportunidade imperdível para aqueles que tem dificuldade em ler outro idioma que não seja o português.

O restante das informações deixo para vocês lerem no blog do próprio Vela, clique no banner abaixo!

Parabéns VelaePavio por compartilhar os conhecimentos que você adquiriu ao longo do tempo!

Publicado em Uncategorized | 4 Comentários

Na mente de um trader

Assim como no mundo das finanças pessoais, ou como está na “moda” dizer, educação financeira, existem dois tipos de pessoas, as que pagam juros e as que recebem juros.

No mercado financeiro – bolsa de valores – também existem dois tipos de pessoas, os perdedores e os vitoriosos.

Só que não é tão fácil escolher o lado dos operadores de sucesso, precisa de muito estudo e passar um bom tempo no lugar dos perdedores impulsivos e sem planejamento para aprender com a experiência que nenhum livro é capaz de fornecer. O Mark Douglas em seu livro The Disciplined Trader chama isso de consciência forçada.

Não existe a tradução do livro original para português.

Os amadores impulsivos são seduzidos pelas cotações pulsando a sua frente e com isso seu coração passa a bater no ritmo frenético e irregular dessas cotações, alternando entre pânico e euforia, assim esse indivíduo dá lugar a muitas emoções quando deveria ter o máximo de racionalidade possível.

São milhões em dinheiro que piscam a sua frente como se parte dessa enorme quantia pudesse ser dele. Recentemente ouvi de um formando de engenharia de uma universidade federal, que trabalha como analista de ações, de forma totalmente eufórica e orgulhosa que na bolsa ele se encontrou, pois lá é que “rola” muito dinheiro, que na bolsa ele trabalhava com milhões e até bilhões em dinheiro ele falava como se todo esse dinheiro pudesse ser dele. Só que existem milhares de pessoas envolvidas com esse dinheiro todo, é como se uma pessoa mal intencionada fosse trabalhar como caixa de um banco, ela vai lidar com dezenas de milhares de reais diariamente, porém nenhum centavo lhe pertence, na bolsa as quantias que pulsam na nossa frente, seja da cotação ou do volume financeiro na faixa dos milhões, são apenas as “fichas” do jogo, o lucro está relacionado apenas com o controle psicológico, com o plano de operação e com a gestão financeira.

Como o Alexander Elder chama em seu best seller Come Into My Trading Room (traduzido o livro ganhou o nome de “Aprenda a Operar no Mercado de Ações”) – os 3 Ms – Mind (mente), Method (método) e Money (dinheiro).

Versão traduzida para português

Versão original do livro em inglês

Olhando mais de perto podemos perceber que o lucro ou prejuízo está relacionado com o capital disponível, com a existência de uma rede de segurança no caso do mercado ir contrário ao que você esperava e principalmente com a sua capacidade de se manter fiel as suas regras e não se congelar na frente do monitor.

“Compre ou venda no mercado para fazer dinheiro, mas escreva suas regras de compra e venda para que as emoções e a ganância não assumam o controle e abatam você.”

Se congelar na frente do monitor é algo que naturalmente vai acontecer com todos aqueles que começarem a se aventurar na bolsa, faz parte do aprendizado forçado para acreditar na importância de se criar regras bem definidas antes de entrar em uma operação, pois a falta de planos totalmente fechados do que fazer em todas as possíveis situações ocasiona na dúvida do que fazer quando o mercado faz algo surpreendente, seja uma baixa vertiginosa ou uma alta gloriosa, sem planos definidos do que fazer antes de entrar em uma operação é impossível tomar uma atitude conscientes e tranquila, por isso os amadores congelam muito frequentemente, afinal o que mais acontece nos mercados são fatos surpreendentes.

Quando um amador acha que está começando a “pegar o jeito” devido a associação de notícias com altas ou baixas, ele é surpreendido com uma notícia que ele já tinha “aprendido” que as ações sobem logo em seguida, porém o que aconteceu foi o contrário, as ações despencaram, não é incomum várias pessoas postarem no facebook, twitter, fóruns, google plus notícias sobre uma empresa famosa, como se isso fosse impulsionar as ações em alguma direção conhecida, vide como exemplo os pomposos jornalistas da maior emissora de TV do Brasil que acham que dominam o assunto “bolsa” e pra piorar acham que existe algum paralelo entre a economia brasileira e até mesmo internacional com os movimentos das ações no brasil, sempre eles sabem com toda certeza o que impulsionou determinada ação a subir ou descer, e o mais gritante é a contradição que eles caem ao dizer, por exemplo, que as ações de “tal empresa” subiram porque foi descoberto mais petróleo, daqui a duas semanas eles dizem que as ações da mesma empresa cairam pelo mesmo motivo, será mesmo que eles tem alguma idéia do que estão falando?

A falta de relação das bolsas com as notícias das empresas ou com a economia é devido a um simples fato – quem “manda” naquela ação é que tem mais dinheiro envolvido nela naquele momento, então o movimento será na direção do que é favorável a essa pessoa, para ilustrar essa situação use uma técnica simples de resolução dos matemáticos, vamos reduzir os valores do nosso problema para visualizarmos mais facilmente a solução, suponhamos que eu, você e um amigo nosso, somos os únicos acionistas de uma empresa, e esse nosso amigo tem 1000 ações, você tem 1500 ações e eu tenho 12500 ações, na verdade você e esse nosso amigo pretendem comprar essas quantidades de ações – então vocês estão esperando uma alta dessas ações – só que eu já possuo as minhas ações e quero vender pois espero que o preço dessas ações caiam, então já que tenho muitas ações e pretendo vende-las passo a vender pequenas porções cada vez mais baixo para conseguir vende-las, sendo assim você e nosso amigo até conseguem comprar as ações a um preço mais baixo do que almejavam, porém vão se surpreender com preços cada vez mais baixos até que eu consiga me desfazer de todas as minhas ações, e nesse meio tempo é bem provável que vocês saiam com prejuízo, mesmo que antes vocês tenham feito planos de operações bem fechados.

A imagem do urso (bear) vs touro (bull) é comumente usada para fazer referência a quem está acreditando na queda, fazendo força para baixo, portanto seria um urso; já o touro costuma fazer força para cima, acreditando em uma alta.

Por isso é tão importante entender quando um grupo de touros está sendo mais forte que um grupo de ursos, e vice-versa. Infelizmente aqui no Brasil a análise fundamentalista ainda é bem forte, muitos amadores buscam essa alternativa para seus estudos devido aos grandes e famosos investidores de décadas atrás, entretanto o mundo evoluiu e não só os operadores de curto e médio prazo usam a analise técnica, mas os investidores sérios de longo prazo da atualidade também a usam, pois aqueles que estudam a fundo os mercados e tudo o que o envolve acabam aprendendo que dinheiro é sinônimo de emoção, quanto mais dinheiro se tem em uma dada circunstância mais emoção toma o lugar da razão dificultando as boas escolhas, e na analise fundamentalista não se leva em consideração os demais operadores/investidores envolvidos com aquele ativo, muito menos se mede o envolvimento emocional que cada grupo tem naquele momento nesse ativo.


Ainda há aqueles que optam, de forma muito infantil, pela analise técnica aqui no Brasil, mas acabam subjulgando os mercados, acreditam que por lerem 2-3 livros de análise técnica escrito por autores brasileiros já dominam o conhecimento dos padrões e que isso é suficiente, chegam a contar suas histórias de vantagens de alguns verdadeiros lucros, porém guardam para si suas enormes derrotas. Quando me perguntam se já tive algum grande prejuízo e respondo que sim com certo ar de orgulho sou mal compreendido, afinal a maioria das pessoas pensam como o mundo nos ensinou a pensar e a sentir, porém nos mercados para termos sucesso temos que aprender a pensar e a sentir o contrário do que fomos acostumados a vida toda, pois hoje vejo todos os meus grandes prejuízos como custo da minha formação como operador, sem remorço ou ressentimento, sinto até um leve desejo de agradecer quem comprou de mim ações que amargei prejuízo, não que eu goste de sofrer, não me entenda mal, é que só com esses prejuízos tive a oportunidade de amadurecer como operador e iniciar um extenso plano de operações do qual demorei cerca de um ano e meio para finalizar, ainda que me permito fazer alterações frequentes neles a medida que eu for aprendendo mais e mais a cada operação.

10 Motivos para…Aprender com as derrotas
por Letícia Gonçalves

01 -A derrota significa a existência de uma tentativa, ou seja, houve coragem para ousar. As chances de conquistas são maiores para quem costuma se arriscar.

02 – A vida é feita de vitórias e derrotas. Não é preciso desistir por causa de um momento ruim. Outros melhores ainda virão.

03 – Perder pode ser apenas parte de uma história de superação. É um momento da vida em que algo não saiu como deveria, mas a vontade em continuar talvez possa mudar o desfecho.

04 – Veja por outro lado: você pode ganhar com esse momento, pensando em quais atitudes colaboraram para a derrota e como poderiam ser melhoradas.

05 – Ao entender a derrota como um aprendizado, você terá uma qualidade de vida melhor, já que irá aumentar sua sabedoria.

06 – A derrota pode afastá-lo, em um primeiro momento, de seus objetivos. Por outro lado, ao observar o que deu errado, você saberá elaborar estratégias diferentes para atingi-los.

07 – A situação é ótima para aprender a lidar com as dificuldades, aumentando a capacidade de encarar e suportar futuros momentos de dor.

08 – Refletir sobre o fracasso pode ser um excelente modo de se tornar mais humilde e cauteloso, agindo com mais atenção da próxima vez.

09 – Você também terá melhor conhecimento de seus limites, sabendo como reagir cada vez que se deparar com eles.

10 – Como todo momento da vida pode proporcionar um aprendizado diferente, saber como aproveitar cada um deles pode deixá-lo com mais maturidade mental e emocional.

Uma das confissões que devo fazer é que a pior coisa que pode acontecer com um operador iniciante é ter um lucro logo em seguida de tomar uma decisão por impulso ou por negligênciar alguma regra de operação, é muito similar a um aluno que não estuda e acaba tirando um 7,0 na prova, isso é uma grande e perigosa armadilha, pois a tentação é enorme em acreditar que da próxima vez posso agir da mesma maneira que “irei me dar bem”, mas assim como os professores não passam a mão na sua cabeça por não estudar e fazer o “dever de casa”, o mercado também não lhe impedirá de montar uma operação extremamente absurda, conquentemente o aluno continuará tirando notas baixas com a crença de que ele poder tirar boas notas sem estudar, e o operador amador continuará amargando prejuízos sem controle algum até que sua conta fique zerada.

Publicado em Troca de Idéias, Uncategorized | 6 Comentários

Minha biblioteca pessoal

Minha biblioteca pessoal

Sobre Crescimento Pessoal

A Arte de Fazer Acontecer – David Allen
A Lei do Triunfo – Napoleon Hill
O 8º Hábito – Stephen R. Covey
O Monge e o Executivo – James C. Hunter
Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes – Stephen R. Covey
Quem Pensa Enriquece – Napoleon Hill
Quem Vende Enriquece – Napoleon Hill

Sobre Finanças Pessoais

12 Meses Para Enriquecer – Marcos Silvestre
A Árvore do Dinheiro – Macedo Jr
A Dieta do Bolso – Bussinger
As Armadilhas do Consumo – Tolotti
Casais Inteligentes Enriquecem Juntos – Gustavo Cerbasi
Família, Afeto e Finanças – Angélica e Rogério
Finanças Comportamentais – Mosca
Investimentos a Prova de Crise – Marcos Silvestre
O Homem Mais Rico da Babilônia – George Samuel Clason
Os Segredos da Mente Milionária – T. Harv Eker
Os Segredos dos Casais Inteligentes – Gustavo Cerbasi
Pai Rico, Pai Pobre – Kiyosaki
Psicologia Econômica – Ferreira
Quanto Custa Ficar Rico – Portinho

Sobre trader – operador do mercado financeiro

Aprenda a Operar no Mercado de Ações – Alexander Elder
Aprenda a Vender e a Operar Vendido – Alexander Elder
Como Se Transformar em um Operador e Investidor de Sucesso – Alexander Elder
Definitive Guide to Position Sizing – Van K Tharp
Entries & Exits – Alexander Elder
How To Develop Discipline To Become A More Successful Investor – Van K Tharp
Mechanical Trading Systems – Richard L Weissman
New Concepts in Technical Trading Systems – Welles Wilder
New Trading Dimensions – Bill Williams
Technical Analysis – Gerald Appel
Technical Analysis of Stock Trends – Robert D Edwards and John Magee
Technical Analysis Of The Financial Markets – John J Murphy
The Disciplined Trader – Mark Douglas
The Inner Voice of Trading – Michael Martin
Trade Like A Casino – Richard L Weissman
Trade Your Way to Financial Freedom – Van K Tharp
Trading Chaos – Bill Williams
Trading in The Zone – Mark Douglas

Publicado em Livros | Deixe um comentário

Diário do Operador

Estou começando a fazer um diário de operações no outlook, estou gostando, mas senti a necessidade de deixar as entradas no calendário mais completas com as descrições de todos os meus motivos, não só os sinais semanais e diários, mas as providências a serem tomadas, avaliação, sentimentos, etc.

Vou expor abaixo um rascunho do que pretendo colocar quando abro um trade e depois quando fecho.

===========================

Posição: [Comprado ou Vendido]
Método: [Seguindo a Tendência ou Contra a Tendência]
Sistema: [Algum dos possíveis padrões de formações que conheço para o método escolhido]
Técnica: [Algum sinais mais preciso que segue o sistema e o método escolhido]

Gráfico Semanal: [A descrição do preço em relação ao “valor” e a indicação do método]
Gráfico Diário: [A descrição do MACD, Force Index e Preço]

Entrada: [O preço de entrada, junto com a avaliação da entrada e o tamanho do canal]
Quantidade de ações: [Quantidade de ações a operar segundo a minha planilha]
Stop Loss: [Stop loss segundo a planilha e o Xover]
Stop Gain: [Stop gain segundo o canal superior do desvio padrão]

Providência de Loss: [Sinais que me façam sair com algum loss antes de bater em algum stop]
Providência de Gain: [Sinais que me façam sair com lucro antes de bater em algum stop]
Providência de Susto: [Realizar o prejuízo máximo estipulado para essa operação, aguardar até ter lucro ou até o mês que vem para realizar mais um pouco de prejuízo máximo, ir assim até sair totalmente]

Sentimento de entrada: [Descrição dos meus sentimentos ao entrar nessa operação]

===========================

Posição: [Comprado ou Vendido]
Método: [Seguindo a Tendência ou Contra a Tendência]
Sistema: [Algum dos possíveis padrões de formações que conheço para o método escolhido]
Técnica: [Algum sinais mais preciso que segue o sistema e o método escolhido]

Gráfico Semanal: [A descrição do preço em relação ao “valor” e a indicação do método]
Gráfico Diário: [A descrição do MACD, Force Index e Preço]

Entrada: [O preço de entrada, junto com a avaliação da entrada e o tamanho do canal]
Quantidade de ações: [Quantidade de ações a operar segundo a minha planilha]
Stop Loss: [Stop loss segundo a planilha e o Xover]
Stop Gain: [Stop gain segundo o canal superior do desvio padrão]

Providência de Loss: [Sinais que me façam sair com algum loss antes de bater em algum stop]
Providência de Gain: [Sinais que me façam sair com lucro antes de bater em algum stop]
Providência de Susto: [Realizar o prejuízo máximo estipulado para essa operação, aguardar até ter lucro ou até o mês que vem para realizar mais um pouco de prejuízo máximo, ir assim até sair totalmente]

Providência realizada: [Descrição da providência tomada para fechar essa operação]
Saída: [O preço de saída, junto com a avaliação da saída e o do trade]

Sentimento de saída: [Descrição dos meus sentimentos ao sair dessa operação]

Dos livros que li nunca vi nada referente ao que fazer caso o stop seja ultrapassado por um gap, fiquei um tempo pensando e cheguei nessa conclusão que grifei em vermelho, alguma opinião sobre isso?
Visto que o stop é uma das ferramentas que temos para nos ajudar a gerenciar o risco de uma operação, porém ela não é 100% segura, como nesse caso.

Publicado em Práticas de Gerenciamento de Risco | Marcado com , , | 2 Comentários